domingo, 14 de junho de 2009

PASSA UMA BORBOLETA


Passa uma borboleta por diante de mim
E pela primeira vez no Universo eu reparo
Que as borboletas não têm cor nem movimento,
Assim como as flores não têm perfume nem cor.
A cor é que tem cor nas asas da borboleta,
No movimento da borboleta o movimento é que se move,
O perfume é que tem perfume no perfume da flor.
A borboleta é apenas borboleta
E a flor é apenas flor.

(Alberto Caeiro)

Alberto Caeiro (Heterónimo de Fernando Pessoa)

4 Pensamentos:

  1. E mesmo assim nos entregamos a amores sórdidos e poéticos às duas.

    ResponderExcluir
  2. viu, 2 vícios iguais ! haha
    adorei esse poema :)
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Quando li esse poema pela 1ª vez, passei a enxergar muita coisa por outros ângulos.

    Beijo!.

    ResponderExcluir
  4. Se chegasse minutos depois via a nova postagem, acabei de postar =)

    ResponderExcluir